inspeção sanitária

Ao abrir um restaurante, bar ou qualquer estabelecimento que trabalhe com alimentação é necessário ter cuidados com a questão de segurança alimentar. Sim, você sabe disso. Mas não basta ser um empreendedor cuidadoso. Muitas vezes um descuido, um acaso, ou algo que passe despercebido pelos colaboradores pode ser motivo de incômodo com a lei ou até de prejuízo financeiro. A segurança alimentar é um dos principais pontos avaliados pela inspeção sanitária. Por esta razão é fundamental estar preparado para todas as situações.

 

Embora seja um tema que assuste diversos proprietários (com razão), nós preparamos um material que irá ajudar a compreender o que é essa fiscalização sanitária e como se preparar para a visita.


Quem aplica a inspeção sanitária?

O primeiro passo para se preparar para uma inspeção sanitária é conhecer quem irá executar essa fiscalização. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) será responsável por essa atividade. Criada em 1999, pela lei nº 9.782, tem como objetivo proteger a população. Atua na inspeção de processos, insumos, produtos, estoque, serviços e tecnologia. 

 

Suas visitas ocorrem in loco para vistoriar os processos dos restaurantes – armazenamento, higiene e serviços alimentares, por exemplo –, com o objetivo de assegurar que estejam seguindo às normas sanitárias vigentes. Para que a inspeção sanitária seja válida, é fundamental que o fiscal leve consigo um farmacêutico que será o responsável por aferir a qualidade dos itens indicados e apontados pelo fiscal.

 

O que é exigido pelos fiscais da Anvisa?

Quando há fiscalização muitos pontos são considerados e avaliados, porém, existem dois que devem ser cuidados com maior destaque: o Manual de Boas Práticas e os Procedimentos Operacionais Padrão, os POPs.

 

Nenhum dois é um bicho de sete cabeças. É recomendado que o Manual seja desenvolvido pela gestão do restaurante em parceria com um profissional especializado na área, um nutricionista ou outro colaborador da área que tenha ciência e compreenda de maneira eficaz as normas exigidas pela vigilância sanitária.

 

O conteúdo do material deverá ter informações como a estrutura do restaurante ou bar e todos os processos que devem realizados, como, por exemplo: higienização do local, equipamentos e utensílios, até o controle de pragas. Esses procedimentos documentados, quando distribuídos aos colaboradores, são de grande valia ao capacitar novos funcionários sobre como funciona os processos do estabelecimento e também para manter o local sempre em ordem.

 

Leia também: Higiene na cozinha: 6 dicas para aplicar já!


Já os POPs são fundamentais para qualquer estabelecimento de alimentação, pois será por meio deles que haverá instruções com todos os detalhes para realizar os procedimentos de manipulação de alimentos.

 

Os POPs são divididos em quatro categorias para que os colaboradores tenham plena ciência de como deve ser realizado cada instrução para estar de acordo com as normas da vigilância sanitária.

 

  • Higienização de equipamentos, utensílios e móveis
  • Controle integrado de vetores e pragas
  • Higienização do reservatório de água
  • Higiene e saúde dos manipuladores

 

É claro que receber a visita de um fiscal que irá inspecionar seu estabelecimento gera nervosismo e apreensão. Primeiro: a prática de observação constante das normas, deixa o empreendedor mais tranquilo. Mas, como dissemos, sempre há o acaso, o descuido involuntário. Então, a seguir, daremos algumas dicas de como se comportar antes, durante e depois da fiscalização.

 

1. Antecedência

Se você pensa que o fiscal irá avisar o que dia em que irá visitar o seu estabelecimento já é bom tirar essa ideia da cabeça. Normalmente a inspeção sanitária ocorre sem aviso prévio e em momentos em que o fluxo de pessoas no local está alto, principalmente em datas como carnaval, feriados, festas e etc. 

 

Se por algum acaso já faz mais oito meses ou algum tempo que nenhum profissional da Anvisa bateu na sua porta, o recomendado é já ir se preparando e reforçar se tudo está conforme as normas. O planejamento e auditoria interna é fundamental para evitar eventuais problemas na fiscalização.

 

2. Oriente seus colaboradores

 Oriente seus colaboradores

Assim como mencionamos acima, os colaboradores do seu restaurante ou bar precisam estar cientes do Manual e dos POPs para que sempre mantenham o local de trabalho em ordem. Porém, também será necessário passar orientações sobre como devem se comportar durante a inspeção do fiscal.

 

A rotina de trabalho deve ser a mesma, mas o ideal é que todos os colaboradores trabalhem de forma mais cuidadosa. Não podemos esquecer que tudo está sendo avaliado durante esse momento. 

 

Dica de leitura: Como fazer o controle de estoque em restaurante


3. Seja solícito

O importante durante a inspeção sanitária é estar disposto a colaborar com o fiscal e o farmacêutico na fiscalização. Não tente esconder erros que poderiam ter sido solucionados anteriormente, por exemplo. Permita o recolhimento de amostras do restaurante para serem analisadas e sempre responda todas as questões e dúvidas levantadas durante a conversa.

 

Você, provavelmente, não gostaria de entrar em conflito com a agência responsável por fiscalizar seu restaurante. Seja solícito e contribua para que a inspeção sanitária seja feita da melhor maneira possível, afinal tudo isso contribui para uma melhor qualidade de vida para os consumidores que frequentam seu negócio.

 

4. Siga as instruções recomendadas
siga as orientações

 Se o seu restaurante foi fiscalizado e não houve nenhuma reclamação ou apontamento, parabéns! Mas sabemos que apesar de grandes esforços sempre há algo que precisa ser melhorado.

 

Por essa razão, caso o fiscal encontre alguma irregularidade, a Anvisa permitirá que você, empreendedor, corra atrás de solucionar esse problema. Geralmente o prazo para essa solução é de meses, mas varia de caso a caso. O fiscal deverá informar o que foi encontrado de maneira errada e passar instruções sobre como deve ser reparado. Não perca tempo! Coloque em prática o quanto antes essas instruções para prestar um bom serviço aos clientes e evitar problemas com a agência.

 

5. Aprenda com os erros

Você sabe, errar é humano, por isso use a inspeção para aprender e tornar seu estabelecimento cada vez mais completo e prazeroso a todos que trabalham e consomem nele. O importante é ter ciência que essa fiscalização contribua para que problemas de gestão, que estavam fora do alcance, sejam apontados e corrigidos.

 

Após entender de uma vez o que é a inspeção sanitária e sua importância para controlar e contribuir para a saúde da população, não tenha mais medo. Coloque em prática tudo o que foi citado aqui e faça com que a reputação do seu restaurante cresça positivamente cada vez mais.


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se abaixo em nossa base de newsletter e receba em primeira mão nossas novidades =)