barman ou garçom

Você trabalha com eventos, festas, restaurantes, e tem uma velha dúvida (nem tão velha assim, já que as profissões foram ganhando nos últimos tempos características muito particulares): o que é melhor: ser um garçom ou um barman?

As duas atividades são essenciais para esses segmentos e ambas possuem seus lados positivos e negativos, como vamos ver a seguir. Tudo dependerá de fatores como o local em que atua, tempo de profissão e se você se encaixa na rotina de trabalho da área.


Barman
barman

O barman é um profissional que, geralmente, necessita de uma formação em coquetelaria, além de seguir a metodologia europeia de atendimento por meio de trajes clássicos e conhecimentos avançados para personalização de drinks de acordo com a vontade dos clientes. 

Também existe a opção de bartender, que é atividade para pessoas mais jovens, com visual mais despojado, e que desenvolve drinks pré-estabelecidos pela casa, fundamental para eventos com fluxo alto de pessoas.

Uma das grandes vantagens do barman é não ter que lidar o tempo todo com clientes – apenas no momento de preparar o drink. Não se movimenta muito durante o expediente de trabalho, afinal fica atrás do bar/balcão e em um único setor. Sabemos que existem salões extensos que tornam cansativo a rotina, principalmente do garçom, de ir e vir para servir e atender os consumidores.

Há o lado negativo: ao trabalhar num bar, é você que ficará responsável pelo setor, ou seja, deverá deixá-lo limpo todos os dias, receber e carregar as encomendas e armazená-las de maneira correta. Se algo sair fora do controle e gerar problemas, a responsabilidade será toda do barman.

O salário (ou cachê) varia muito, tanto em estabelecimentos como em eventos. Existem casos onde o barman recebe um salário mais atrativo do que o de um garçom, como vice-versa. Sem contar que, independentemente do seu atendimento e serviço, quem está no salão do estabelecimento (garçons) recebe uma porcentagem maior da taxa de serviço (aqueles 10% habituais). A esquadra do salão fica com mais ou menos 60% do bolo. O restante é dividido entre os demais profissionais da casa.

O salário desse profissional varia da região em que atua até ao porte do evento em que está participando. A faixa salarial vai de R$ 1,1 mil a R$ 3,5 mil. 


Garçom
garçom

Diferentemente do barman, que fica em um único lugar, o garçom é o responsável por atender diretamente os clientes dos estabelecimentos. Muitos negócios estabelecem o trabalho por zona, mas o comum é o profissional andar pelo salão para atender todos os consumidores.

Existem cursos para especialização do garçom, porém são poucos os estabelecimentos, principalmente os que necessitam de habilidades específicas, que solicitam o diploma. 

O garçom, além de ser um profissional com aparência em dia, boa educação, empatia, deve saber lidar com as chamadas saias justas (existem muitos consumidores que podem criar problemas, encrencas, discussões). Claro, deve também ter noção de vendas para conseguir aumentar o consumo do cliente no local.

Muitas vezes, o garçom é o único contato da marca com o consumidor, por esta razão é fundamental que seja cortês e proativo. Deve estar sempre atento aos mínimos detalhes, para tornar a experiência do cliente a melhor possível. Vale lembrar que esse profissional é um dos primeiros a chegar no local para organizar o salão de acordo com o sistema que a casa adota.

O garçom precisa estar preparado para tomar decisões rápidas e ter jogo de cintura para diversas situações, mas o trabalho é recompensado com a ajuda da taxa dos 10% paga pelos consumidores para o serviço prestado.

O salário de um garçom, assim como o de um barman, pode variar de acordo com sua região. Sua faixa salarial pode ir de R$ 1,2 mil à R$ 3,5 mil. Fora a taxa de serviço.

Ambas as profissões são fundamentais para o sucesso de estabelecimentos que queiram prestar serviços completos no ramo de alimentação e bebidas. A escolha sobre ser garçom ou barman é puramente pessoal. Conheça seu perfil e parta para a luta.