harmonização

A harmonização, segundo o conceito mais comum, é a combinação perfeita entre um prato delicioso e uma bebida alcoólica. É comum ouvir que estamos na era da informação, mas muitos estudiosos sugerem que a melhor expressão para definir o espírito da época em que vivemos seja “era da experimentação”. 



Se abrir para o mundo não se trata mais de um comportamento tipicamente jovem. Independentemente da idade, estamos cada vez mais saindo da nossa zona de conforto e buscando sensações, prazeres, atividades, jamais pensados antes.



Essa nova disposição contemporânea impacta o comportamento humano em várias áreas, como relacionamentos, consumo, aventuras, viagem. E, claro, a alimentação não poderia ficar fora -- para ser mais preciso, a gastronomia. Quando se trata de sabores e texturas, o estado de arte de nossas papilas gustativas é atingido ao experimentar combinações (ou, conforme o vocabulário gourmet, harmonizações) inusitadas. Especialmente as que desafiam suas expectativas, que surpreendem seu repertório.


Harmonização – sim, você já ouviu esse termo. Mas conhece a arte de harmonizar?

Estudada a fundo ou descoberta ao acaso, essa parceria entre comida e água que passarinho não bebe pode proporcionar ao paladar do consumidor uma experiência indescritível. Claro, não é qualquer pessoa que tem conhecimento para indicar a bebida ideal para harmonizar com determinado prato – seja vinho, cerveja ou drink. Há regras básicas.


Vamos falar de vinho, por exemplo. Vinho tinto vai bem com carne; branco, com peixe. Mas até mesmo essas certezas estão sendo contestadas. Viraram zona de conforto e podem levar muita diversão por água abaixo.


É aqui que entra o sommelier, o especialista em bebidas – não por acaso, um dos ofícios que vem ganhando cada vez mais destaque no mercado de trabalho. Sua importância nos estabelecimentos, hoje, é incontestável. Isso porque, como falamos, cliente de restaurante não quer apenas se alimentar. Quer experiências, quer sensações, quer novidade. Só um profissional qualificado em harmonização de pratos e bebidas pode levá-lo aos céus.


No entanto, para indicar a melhor combinação, o sommelier deve ter um conhecimento complexo, e entender que não se trata apenas de compreender o tipo de carne ou massa a ser ingerido. Uma harmonização completa deve considerar fatores e estruturas, como temperos, acidez, doçura, intensidade e aromas dos pratos e bebidas.


Dicas básicas de harmonização com vinhos
dicas de harmonização

A harmonização pode ser feita de diversas maneiras. Neste artigo, apresentaremos algumas dicas básicas de como combinar seu vinho predileto com o prato que ele pede. Não, não vamos entrar em detalhes específicos. Vai ser moleza. Confira:


A primeira dica é combinar o peso do prato e do vinho. É comum escutarmos que o vinho tinto, que é encorpado, combina com carnes vermelhas, consideradas mais pesadas e donas de sabor mais marcante que os demais tipos de carne. A dica vale como um cartão de visitas. Mas não é um dogma.


Agora, se o seu prato for um pouco mais gorduroso, o ideal para esse alimento é harmonizar pelo contraste, ou seja, o indicado é combinar com bebidas ácidas.


O vinho branco é considerado leve – geralmente em sua composição o teor alcoólico é mais baixo que a média dos tintos. Nesse caso, pratos como peixes, aves e massas com molhos suaves são a combinação mais indicada.


outros caminhos para harmonizar bebidas e comida. Um deles é levar em consideração a etnia. Combinar pratos e bebidas desenvolvidos no mesmo país é uma excelente estratégia. Mas tudo pode variar de acordo com o seu gosto e suas preferências. O importante é testar e encontrar o equilíbrio e a combinação que mais agrade à sua boca.


Gostou desse artigo? Esse foi o primeiro conteúdo da série “Harmonização de pratos”. Traremos, nós próximos artigos, conteúdos específicos para cada tipo de alimento e sua combinação. Não perca essa oportunidade e descubra que a vida pode ser mais prazerosa.